Folhetim

Vilão de ‘Flor do Caribe’ não torce para que personagem fique bonzinho

Igor Rickli é o vilão Alberto em 'Flor do Caribe'

Igor Rickli não se intimidou ao assumir o antagonista principal de ‘Flor de Caribe’ em seu primeiro papel na TV. “O Alberto foi uma coisa muito inesperada na minha vida, mas nada como um dia após o outro. Graças Deus, cai nas mãos de pessoas qualificadas e do bem, que me ajudaram”, disse ao Folhetim.

Leia mais:
“Não é amor”, garante Rita Guedes sobre suposta paixão de personagem por filho
‘Amor à Vida’: Félix apanha e sofre ameaça

O ator, que iniciou sua carreira no teatro, contou que a composição de Alberto foi delicada. “Todos os personagens são complexos, mas a vilania do vilão tem que ter um porquê, senão ele vira um bobo”, explica. Mas qual é razão de tanta maldade? “É o amor. Ele foi criado longe da mãe e do pai, por um avô nazista”, analisa Igor.

Sobre o frison causado pelos antagonistas atualmente, Igor é categórico. “Matar ou prejudicar uma pessoa é completamente errado e não deveria ser bem visto. Mas acredito que todos têm um lado bom e um lado ruim e o vilão dá asas para muitas pessoas. No fundo, é um cara que arrisca”, deduz, acrescentando: “O que prende o público é o carisma do ator. Foi o que aconteceu com a Carminha (personagem de Adriana Esteves em ‘Avenida Brasil’), a rainha de todos os vilões. Ela foi muito carismática.”

O mocinho ficou chato?, quis saber o blog. “Também depende do ator. Se não fizer só o mocinho sofrido, não fica chato”, responde. “Estou louco para fazer um mocinho!”, ressalta.

Ator torce para que Alberto sirva de exemplo

Se engana quem pensa que interpretar um personagem tão intenso é fácil. Igor revela que no começo de ‘Flor’ era difícil deixar os dramas de Alberto dentro do estúdio. “Para ser um trabalho saudável, precisei entender que nenhum daqueles conflitos fazia parte da minha vida”, lembra.

O ator global se prepara para cada cena escutando música, concentração que tem sido fundamental na reta final da novela. “Agora está cada vez mais pesado, pois estamos lidando com a loucura dele e este é um território bem delicado. Mas já entendo o canal. Tiro o Igor de cena para dar passagem ao Alberto”, comenta.

Como acontece com a maioria dos estreantes, Igor foi bastante criticado e teve seu nome envolvido em boatos. Ele confessa que algumas vezes se irritou, mas que também deu boas gargalhadas. “Fui preparado para isso. O que falam de você, para o bem ou para o mal, não mensura quem você é”, pontua. O ator relata que peneirou as críticas. “Não dei bola para algumas e levei outras em consideração. Hoje, a crítica está favorável e isso me alegra, mas não muda a minha vida”, garante. “Faço meu trabalho por amor e para o público, não para a crítica”, complementa.

No começo da novela, Igor se assustava quando o reconheciam na rua, mas, atualmente, curte o carinho do público. “Fico feliz por ter conquistado a simpatia das pessoas e procuro retribuir da mesma forma”, diz, se divertindo com o fato de ser repreendido por alguns telespectadores. “Sempre tem a vovó fofinha que vem falar: você é tão bonito, por que faz isso? (risos).”

Para o ator, o avô de seu personagem é seu grande vilão

Como ainda aguarda os oito capítulos finais do folhetim de Walther Negrão, Igor não faz muitas revelações sobre o desfecho de Alberto, mas deixa claro que não espera que ele fique bonzinho. “Ele está entre a cruz e a espada. A Guiomar (Cláudia Netto) tenta resgatá-lo e o Dionísio (Sérgio Mamberti) é o vilão dele. Não acredito em regeneração, mas acho que ele pode deixar o Cassiano (Henri Castelli) e a Ester (Grazi Massafera) em paz sem um final dramático”, torce. “Seria bom ele servir de exemplo”, finaliza o ator.

É esperar para ver!

Siga-me no Twitter: @vanessapbm

Carregando...

Sobre Vanessa Paes Barreto

Jornalista desde 2000, Vanessa Paes Barreto começou sua carreira escrevendo sobre economia no site de investimentos "InvestShop". Posteriormente, trabalhou na Rede Globo como produtora de internet, cobrindo as gravações e os lançamentos dos principais programas da emissora. Apaixonada pelo universo da televisão, Vanessa escreve no Yahoo Brasil desde 2011 e já cobriu dois Big Brothers aqui. Posta no Folhetim diariamente comentado sobre as novelas mais assistidas da TV brasileira.