Em Off

Convivência entre “Pânico” e “CQC” tem dado certo

Foto:Divulgação

Desde que o "Pânico" anunciou sua ida para a Band,  muito se falou das semelhanças entre os temas do humorístico e do "CQC".  Comentava-se que os dois programas iriam bater cabeça e que existiria uma certa disputa. O assunto virou até piada nas duas atrações. O fato é que o humorístico já completou um mês na emissora, por vezes, tem, sim, pautas parecidas com as do  "CQC", mas não é nada que comprometa ou justifique a argumentação de que as duas atrações são concorrentes. A trupe de Emílio Surita tem obtido quase o dobro de audiência (11 pontos de média) da de Marcelo Tas (que tem média de 6 pontos), mas isso já acontecia quando os humoristas eram da RedeTV!. Ou seja, tudo continua como antes. Aliás, como dizem na Band, cada um no seu quadrado.

O "Pânico" tem investido mais em estúdio e em aperfeiçoar  seu "espírito de porco", como os próprios integrantes dizem. Já o "CQC" é um programa de externas, mais envolvido com a política e cidadania. Dois episódios recentes e marcantes exemplificam bem a diferença entre as duas produções. O programa de Surita virou notícia por ter cordado o cabelo da panicat Babi Rossi (no último domingo, aliás, o humorístico mostrou a bela visitando, ao lado de Sabrina Sato, o Graacc e a Casa Hope, ambas instituições ligadas ao tratamento de pessoas com câncer). Já o "CQC" esteve na mira da mídia pelo fato de o repórter Maurício Meirelles ter atrapalhado a cobertura do encontro entre Hillary Clinton, secretária de Estado norte-americana, e Antonio Patriota, ministro das Relações Exteriores, e quase ter saído na mão com  jornalistas. Precisa dizer mais?

Foto:Divulgação

Como já foi dito "Pânico" e o "CQC" continuam indo na mesmas pautas, mas a abordagem é diferente. E isso é previamente combinado, claro. Ambos estavam, por exemplo, na festa de Ana Hickmann. Vesgo e Alfinete (vestido de Marcelo Tas) ficaram mais de 15 minutos com a loira no evento falando sobre a sua desavença com Adriane Galisteu. Já Felipe Andreolli, repórter do "CQC", conversou com Ana sobre os homens de sua vida. Ele não ficou mais de cinco minutos com a apresentadora. A briga de Ana com Galisteu só foi citada no programa. Ah, Andreolli, Vesgo e Alfinete ainda fizeram piadinha sobre o "encontro" na festança.

Enfim, a convivência entre as duas atrações tem dado certo (por enquanto) e a Band (que controla tudo de pertinho, claro) está dando pulos de alegria. Afinal, o "Pânico" ajudou (e muito) a emissora a alavancar sua audiência. Já o "CQC" continua sendo a menina dos olhos do canal.

Siga-me no Twitter: @janaina_nunes

Veja também:
Para Marco Luque, saída de Rafinha Bastos foi o momentos mais tenso pelo o qual passou no "CQC"
"Pânico na Band" prepara surpresa para a estreia de Rafinha Bastos na Rede TV!

Carregando...

Sobre Janaína Nunes

Formada em 1997 pela Universidade Metodista de São Paulo, Janaína Nunes foi repórter do "Diário do Grande ABC", "Agora SP", revista "Minha Novela" (editora Abril) e "Diário de São Paulo". Antes de assumir o blog Em Off, em 2012, cuidava da coluna Olá, do "Agora São Paulo". Ligada nos bastidores da TV, Janaína conta diariamente em primeira mão tudo que rola dentro e fora das telinhas.